domingo, 19 de janeiro de 2014

Trujillo: Ponto de partida para visitar Huaca del Sol y de la Luna, Huaca del Arco-Irís, Chan Chan e Huanchaco (03º Dia)

Desembarcamos no terminal da empresa de transportes Cromotex às 7 horas da manhã, onde pedimos informações de como chegar à "Plaza de Armas" da cidade de Trujillo. Estávamos a apenas 1 km da praça central e precisávamos apenas seguir em linha reta a partir da via "Del Ejercito" em direção à "Avenida Espana". No Peru, quando você não tiver a menor ideia de onde encontrar alguma coisa, procure pela plaza de armas ou plaza mayor, em regra, toda cidade tem uma, onde se concentram o poder administrativo, igrejas, posto de informações turística, agências de turismo, hotéis, restaurantes, etc. Assim, apesar das abordagens insistentes dos taxistas, seguimos à pé. No trajeto um rapaz ofereceu um tour à Huaca del Sol, Huaca de la Luna e Chan Chan por s/ 30,00 por pessoa. À frente estava a agência Colonial para a qual ele trabalhava. Entramos e fechamos os passeio com saída às 10:30 h. O valor de s/30,00 por pessoa, para realizarmos todos os passeios que havíamos programado na cidade, estava bem abaixo do valor que havíamos pesquisado pela internet no Brasil. Ao lado da agência também funcionava um hostel, Hotel Colonial, e acabamos nos hospedando lá. Após banho, saímos para tomar o desayuno e conhecer a "Plaza de Armas", pois estávamos apenas há duas quadras da mesma. Os prédios históricos, igrejas e casas da praça são bastante coloridos, com forte influência espanhola. 

"Plaza de Armas" de Trujillo
Voltamos ao hostel para a saída do tour no horário programado. Conosco foram três moças francesas e dois cusquenhos, mãe e filho que viajavam juntos para conhecer outras cidades do Peru. A guia que nos acompanhou nesse passeio foi fantástica! Tinha um conhecimento muito grande de toda a região e era bastante atenciosa. Desta forma, comprar o tour na agência Colonial, valeu muito a pena! Nossa primeira parada foi o complexo das "Huacas del Sol y de la Luna" que fica nos arredores de Trujillo (cerca de 5 km do centro da cidade). Este conjunto arqueológico envolve duas pirâmides construídas durante a civilização "Moche" (200 a.C a 700 d.C). A "Huaca del Sol" (Templo do Sol), com 45 metros de altura é a maior estrutura em adobe pré-colombiana das Américas. A "Huaca de la Luna" (Templo da Lua) era a única aberta à visitação. No seu interior, muito bem preservado, existem muitas pinturas e desenhos nas paredes. São várias camadas que foram sendo construídas e reconstruídas ao longo dos anos pelos "Moches".  Ao lado deste sítio há também o "Museo Huacas de Moche" com artefatos cerâmicos desta cultura. No local também pudemos ver pela primeira vez o "perro sin pelo"...  uma raça de cão peruana que é naturalmente sem pelos, muito estranho, mas eles são bem dóceis.


"Museo Huacas de Moche", museo de sítio da
cultura Moche em Trujillo
"Cerro Blanco", colina rochosa de
forma piramidal ao  lado da "Huaca de la Luna"



Mural da "Huaca de la Luna"
"Huaca del Sol", com 45 m é maior estrutura em
adobe pré-colombiana das Américas.
Símbolo da cultura moche pintado
nas paredes de "Huaca de la Luna"


Retornamos ao centro da cidade para o almoço. No restaurante indicado pela guia provamos a "chicha morada" e um prato típico da culinária local: "papa a la Huacaína y cabrito com arroz". O tour continuou à tarde para visita aos sítios arqueológicos da cultura Chimú. Há cerca de 4 k de Trujillo, visitamos a "Huaca del Arco-Irís", um centro cerimonial onde pode-se ver em suas paredes um arco iris estilizado muito bem preservado. 
Painel da "Huaca Arco-Íris"

Após, seguimos para Chan Chan, a capital do império Chimú contruída entre 1100 e 1300 d.C. Apesar de grande parte do que seria a maior cidade de adobe do planeta já não mais existir devido a ocupação urbana em Trujillo, uma parte da mesma está protegida e aberta à visitação. Muito interessante ver suas formações em barro, como paredes, muros altos, desenhos e nichos em forma de losango. 

Sítio arqueológico de "Chan Chan"
Corredor em "Chan Chan"



Em Huanchaco com "caballitos de totora"
e novos amigos


O último passeio do dia foi na praia de "Huanchaco", lá é possível alugar uma canoa de "totora", uma espécie de junco utilizado na construção de jangadas, para dar um passeio no mar. A água do oceano pacífico nesta região é muito gelada, muito mesmo! Não é uma praia para banho, mas valeu muito pelo visual.




Praia de Huanchaco
Em Huanchaco com amigos
cusquenhos e nossa querida guia.



Neste dia visitamos as principais atrações da região, e passamos a programar nossa ida para Huaraz, região da Cordilheira Branca. Pretendíamos passar aquela noite em Trujillo e seguir viagem pela manhã, já que passamos a noite anterior no ônibus. No entanto, ao voltamos para o hostal, descobrimos que não há passagens de Trujillo para Huaraz durante o dia. Então decidimos embarcar naquela mesma noite. Conversando com o dono do Hotel, ele comentou que tinha um conhecido em Huaraz que poderia nos receber e auxiliar com os passeios naquela cidade. Imediatamente fomos adquirir as passagens, com saída programada para as 21:15 h. As passagens custaram s/ 45,00 em um posto da empresa Transportes Línea, próximo à "Plaza Mayor". Voltamos ao hostal para pegar nossas mochilas. Foi um pouco corrido, mas deu tempo de comer alguma coisa e ir de taxi até o terminal da Línea, mais afastado da região central.


Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário