domingo, 25 de maio de 2014

Como chegar à Jordânia



Muitos compram passagens para voos diretos até Amã, capital da Jordânia e de lá seguem até a cidade de Wadi Musa, onde está localizada Petra. No entanto, precisávamos de um caminho que ligasse o Egito à Petra via terrestre. Então o relato abaixo será muito interessante se você estiver no Egito ou em Israel e desejar fazer esse trajeto de forma autônoma. 

Do Egito à Jordânia
Lemos alguns relatos de mochileiros mas não eram muito recentes. Guias de viagem e demais postagens na internet também não eram muito claros quanto a isso. Nossa dúvida era qual o melhor trajeto para chegar até Wadi Musa levando em consideração custos, tempo de viagem e procedimentos de fronteira. Das pesquisas que fizemos concluímos que tínhamos as seguintes possibilidades: via ferry boat cruzando o Mar Vermelho (Nuweibaa no Egito à Aqaba na Jordânia) ou por terra seguindo até a cidade de Taba no Egito, atravessando a fronteira terrestre para Eilat em Israel e depois chegando até a fronteira entre Israel e Jordânia para chegar em Aqaba. Conversamos com o dono hostal em que estávamos hospedados em Dahab, última cidade visitada no Egito, que nos explicou os prós e contras das duas opções. Decidimos pela segunda opção. Neste caso foi preciso entrar brevemente em Israel, para depois chegar à Jordânia.

Trajeto do Posto de Fronteira de Taba - centro do balneário de Eilat - Terminal de Fronteira Yitzhak Rabin
Pegamos o ônibus das 10:30 h de Dahab até Taba (30 LE). O ônibus da East Delta Travel passou primeiro pelo porto de Nuweba onde desceu um turista japonês que iria fazer a travessia por ferry boat. Seguimos viagem com as lindas paisagens da península do Sinai e o mar do golfo de Aqaba e chegamos à Taba por volta das 13:30 h. Do ônibus conseguimos ver a ilha do Faraó onde há ruínas de um castelo dos Cruzados que servia para proteger a passagem dos peregrinos até a Terra Santa.

Terminal de Ônibus em Dahab, Egito
Vilarejos na península do Sinai
Formações rochosas da península do Sinai
Camelo na península do Sinai
Nuweiba, Egito
Castelo dos Cruzado na illa do Faraó, ao sul de Taba, no golfo de Aqaba
Para quem não sabe, Taba foi onde explodiu um ônibus de turistas sul coreanos a poucos meses atrás. Porém agora a situação nos pareceu mais tranquila, o exército está posicionado ao longo da rodovia e eles param os ônibus e veículos por varias vezes para revista e conferencia de documentos de todos os passageiros. Em Taba também não havia quase ninguém na rua. Caminhamos cerca de 800 m entre a estação de ônibus e o posto de controle de saída do Egito. Para sair do Egito paga-se somente 2 LE por um selo pra colar no formulário. Saída liberada, seguimos a pé ao posto de controle de Israel a cerca de 40 metros do posto da polícia de fronteira egípcia.

Taba, cidade egípcia que faz fronteira com Israel

Para entrar em Israel o controle é bem rígido. Passamos por umas 5 ou 6 etapas entre perguntas sobre o que faríamos no pais, quanto tempo iriamos ficar, onde iriamos ficar, se alguém pediu para levarmos alguma coisa na mala... Respondemos tudo bem tranquilamente em inglês e não tivemos problemas. As nossas mochilas foram revistadas por uma agente de segurança. Em pouco mais de 30 minutos já estávamos liberados. Entrada em Israel concluída com sucesso! Um detalhe é que não se paga nenhuma taxa para entrar em Israel. 

Eilat, cidade israelense que faz fronteira com o Egito e a Jordânia

Pedimos informação de como poderíamos chegar à fronteira com a Jordânia. Nos indicaram pegar um ônibus e seguir até o centro de Eilat e de lá pegarmos um taxi até a fronteira. Um taxi direto do terminal de fronteira sairia muito caro, já que estávamos a cerca de 10 km do centro da cidade. Depois de caminharmos uns 500 metros pela orla da praia percebemos que não tínhamos realizado o cambio do dinheiro de dólares por shekels, a moeda israelense. Voltamos ao Terminal de Fronteira de Taba e perguntamos a uma das agentes como poderíamos fazer essa troca. Ela deixou-nos voltar ao posto para trocar o dinheiro, porém o câmbio lá é bem desfavorável: 1 USD = 3,19 ILS. Não tivemos escolha, pois tínhamos que pegar o ônibus. Trocamos logo 100 USD. O balneário de Eilat tem lindas praias e grandes hotéis, sendo bastante frequentado por turistas israelenses e europeus. Pagamos 4,80 ILS cada um pelo ônibus e depois mais 40 ILS pelo taxi para chegarmos ao Terminal de Fronteira Yitzhak Rabin, a cerca de 7 km do centro da cidade. 
Dentro do ônibus
(trajeto Terminal de Fronteira de Taba ao centro Eilat)

Em Israel o fuso horário é de 1 hora a mais que no Egito, então quando olhamos o relógio já eram 4:30 h da tarde e nem havíamos chegado na fronteira com a Jordânia. Nos perguntamos se o japonês que havia seguido via ferry boat já teria chegado à Aqaba. O taxi nos deixou na fronteira com Aqaba. Para deixar Israel via terrestre pagamos 105 ILS por pessoa. Neste horário havia bastante turistas indo para a Jordânia, mas foi bem rápido passar pelo controle. Para entrar na Jordânia por Aqaba não se paga nenhuma taxa, somente para a saída do país (10 DIN por pessoa). Aproveitamos para trocar dinheiro na moeda local para as despesas com deslocamentos. Já eram 17:40 h quando enfim entramos na Jordânia. 

Trajeto entre o Terminal de Fronteira Yitzhak Rabin ao terminal de fronteira jordaniano
Durante a passagem pela fronteira conversamos com outros turistas que também estavam indo para Petra. Uma russa e um inglês se ofereceram para dividir um taxi conosco da fronteira até Wadi Musa. Outra alternativa seria pegar um taxi até o centro de Aqaba e de lá seguir ônibus à Wadi Musa. Definitivamente não sabíamos se naquele horário ainda encontraríamos ônibus... o taxi custou 60 DIN e dividido por quatro passageiros saiu apenas 15 DIN por pessoa. Não saiu caro, ainda mais se considerarmos o tempo e o conforto da viagem. No trajeto o taxista foi repassando informações sobre o país e parou numa loja de artesanatos. O trajeto até Wadi Musa é de cerca de 140 km. A turista russa convidou-nos para conhecer o hostel que ela havia reservado. Depois de visitar um outro que havíamos pesquisado na internet, decidimos ficar no hostel que ela indicou. Às 20:30 h já estávamos confortavelmente instalados hostal Peace Way em Wadi Musa. Não sabemos se o japonês que foi direto de Nuweiba no Egito à Aqaba conseguiu chegar naquele mesmo dia em Wadi Musa (Petra). Seria bom termos este relato também para comparar os custos e o tempo de deslocamento, mas não o reencontramos. Enfim, estávamos prontos para iniciar no dia seguinte nossa jornada em Petra.

Fim da tarde na Jordânia


As siglas utilizadas na postagem são:
USD = dólar americano. Esta é a moeda que vc deverá levar do Brasil, em espécie, para ir trocando em cada país. Cartões não são utilizados na região das fronteiras
LE = libras egípcias (1,00 USD = 7,00 LE) moeda oficial do Egito.
Por todo o Egito dificilmente vc vai encontrar locais que aceitem cartões.
ILS = new shekel (1,00 USD = 3,19 ILS) moeda oficial de Israel. Em Israel já é um pouco mais fácil achar locais que aceitem cartões, menos na fronteira onde deve-se utilizar dinheiro em espécie mesmo.
DIN = dinares (1,00 USD = 0,65 DIN) moeda oficial da Jordânia. Cartões também já são bem mais aceitos, menos na fronteira...

Seguem os valores citados na postagem:
ônibus de Dahab para Taba = 30 LE = 4,30 USD
selo p/ saída do Egito = 2 LE = 0,30 USD
ônibus da fronteira entre Taba e Eilat para o centro de Eilat = 4,80 ILS = 1,5 USD
taxi do centro de Taba p/ a fronteira com a Jordânia = 40 ILS = 12,50 USD
taxa de saída de Israel p/ entrar na Jordânia = 105 ILS = 33 USD
Taxi compartilhado de Aqaba na Jordânia até Wadi Musa (Petra) = 15 DIN por pessoa (taxi c/ 4 passageiros) = 23 USD

Taxa de saída da Jordânia na fronteira entre Aqaba e Eilat = 10 DIN = 15,40 USD


TOTAL = 90 USD (para 1 pessoa, com base no que nós gastamos fazendo estes deslocamentos)


Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.



13 comentários:

  1. Parabéns pelo blog! Estou viajando para Egito e Jordânia e estou pensando em visitar Israel também, aproveitando a proximidade da fronteira. Uma dúvida que tenho: as perguntas que a imigração israelense fazem são difíceis de entender (sotaque, palavras difíceis etc)? Digo isso pq meu inglês não é fluente, e tenho receio de me enrolar por lá e encrencarem comigo! Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo. é bem tranquilo quanto ao idioma. A gente também não fala fluentemente o inglês e nos viramos bem ao responder as perguntas que nos fizeram. Eles são bem compreensivos quanto a isto, basta dizer claramente para onde vai, o que vai fazer e quantos dias vai ficar. Decore bem esta respostas que vão lhe ajudar bastante . Eles vão revistar as suas bagagens no detalhe. Uma preocupação deles que eu percebi foi de questionar também se alguém no Egito ou na Jordânia lhe deu algo para vc levar consigo durante a travessia ou se vc deixou sua bagagem desacompanhada em algum momento nas últimas horas. Isso é para garantir que vc não esteja carregando nada de irregular, mesmo que sem intenção.
      Se não tiver muita gente na fila vai levar em torno de 30 a 40 minutos. Qualquer outra dúvida pode nos escrever. Abraço!

      Excluir
  2. Olá! Muito legal o blog de vocês! Esta informação me animou a ir para Petra, gostaria de saber se a volta foi o mesmo caminho ou vocês tomaram outro rumo. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda. Após visitar Petra e o deserto de Wadi Rum na Jordânia, a gente retornou para Israel (pela mesma fronteira que entramos em Eilat). Porém não voltamos mais para ao Egito e sim continuamos a viagem por Israel. De Eilat pegamos um ônibus para Jerusalém onde ficamos hospedados e centralizamos todos os passeios por Israel durante os cinco dias finais da viagem. O nosso retorno ao Brasil foi diretamente do Aeroporto de Telaviv.
      Estamos escrevendo esta parte da viagem que ainda não consta aqui no blog, aos poucos vamos atualizando tudo com mais detalhes. Se você pensa em fazer o caminho inverso, de Israel para o Egito via terrestre (ou de Petra voltando ao Egito), o único detalhe é o visto egípcio, que na fronteira de Taba eles só dão um visto válido para a região do Sinai para quem entra no país por lá e você pode ter problemas se quiser ir até o Cairo. Neste caso é necessário um visto fornecido antecipadamente na embaixada Egípcia aqui no Brasil, ou o próprio visto fornecido no aeroporto do Cairo.
      Qualquer dúvida ficamos à disposição. Abraço!

      Excluir
  3. Olá! Muito legal o Blog, Parabéns!! Estou indo para o Egito agora em abril com meu marido e pensei e ir para Petra, gostaria de saber se a volto vocês fizeram o mesmo caminho. Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Olá me chamo Anderson. E estou com passagem comprada para Aqaba, porém a minha vontade é ir no Cairo. Logo um caminho inverso do seu. Lendo agora os relatos, pensei em fazer tudo de carro, trocando de carro entre os países. Porém penso em ir de Ferry Boat, o que sugere?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anderson. Primeiramente, para fazer o caminho inverso você vai precisar de um visto egípcio antecipado no seu passaporte, conseguido ainda aqui no Brasil antes da viagem. A regra quando fomos era a de quem entra no Egito pela região do Sinai só recebe um visto na hora para percorrer o próprio Sinai, não é permitido seguir até o Cairo. Então você deverá solicitar o visto geral com antecedência para poder circular livremente por todo o país.
      Quanto a alugar um carro em Nuweiba não sei se rola não. As estruturas são bastante precárias, informações desencontradas, nem sempre o que vc vê na internet vai encontrar na prática lá... Os ferryes que fazem a travessia atrasam bastante, não tem uma tabela cumprida à risca, logo vc pode chegar tarde e ter que passar uma noite lá antes de seguir viagem. Por isso escolhemos o ônibus, mesmo tendo que passar brevemente por Israel.
      Mas independente de ir por ferry ou de ônibus, o fato é que dificilmente vc vai conseguir alugar carro lá. O Sinai continua sendo um lugar um tanto perigoso para circular sozinho. Quando fomos o caminho mais curto estava fechado por causa de ameaças de explosões. Todos os ônibus e carros tinham que dar a volta na península toda, passando por Sharm El Sheikh. Mesmo assim, a cada 70 a 100 km existia uma barreira do exercito revistando todos os veículos e pedindo documentos das pessoas.
      Outro ponto negativo é que entrar de carro no Cairo é extremamente desaconselhável, o trânsito é caótico, praticamente não existe sinalização, ninguém respeita nenhuma regra de transito, não tem onde deixar o carro, é difícil de se localizar. Desaconselho totalmente dirigir um carro lá!
      Te indico duas alternativas: seguir de ônibus desde Nuweiba até o Cairo, mesmo sendo cansativo e mais demorado, porém é mais barato, ou encontrar passagens aéreas promocionais. Neste caso tente pesquisar também por aeroportos próximos à Aqaba, como o Eilat (Israel), Amã (Jordânia), TelAviv (Israel).

      Excluir
  5. Olá Denilson! Depois de conhecer o seu ótimo blog nos animamos a conhecer a região!! Estamos programando nossa viagem para Jordânia e Israel, mas chegaremos por Amã vindo do Cairo, depois iremos à Petra e de lá queremos ir para Jerusalém.Gostaria de saber se você tem alguma informação sobre a ida para Jerusalém a partir de Amã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo! A gente acabou não indo até Amã. Na verdade os únicos locais que visitamos na Jordânia foram Petra (Wadi Musa) e o Deserto de Wadi Rum, ambas utilizando somente a fronteira terrestre em Eilat / Acaba, no sul de Israel. Pelo que eu andei pesquisando existe uma outra fronteira mais próxima fisicamente para um deslocamento Amã / Jerusalém: ela se chama the King Hussein/Allenby bridge. Nós passamos perto dela quando fomos visitar o Mar Morto, fica perto da cidade de Jericó. Porém, li alguns relatos que esta fronteira é bem demorada para cruzar devido a quantidade de pessoas e dos procedimentos demorados. Tanto é que se vc por este trajeto no Google Maps ele vai te indicar a fronteira norte, em Bet She’an e não o trajeto mais curto pela King Hussein/Allenby bridge . Em todo caso indico trocar informações com outros mochileiros que já fizeram este trajeto para vc receber informações mais precisas e atualizadas. Grande abraço!

      Excluir
  6. Fala Denilson, bela viagem que voce fez, tenho uma pequena duvida que gostaria de esclarecer com voce, pra atravessar a fronteira de Israel para o Egito (Eilat - Taba) entao nao e necessario pegar o visto na Embaixada Egipcia aqui no Brasi, basta somente pegar o carimbo na fronteira, desde que eu fique na regiao do Sinai? Outra coisa, na cidade de Taba tem algum destaque para visitaçao/turismo pra que for permanecer pouco tempo na cidade ? Obrigado e abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabiano! Quando fomos em 2014 esta era a informação vigente, quem vem de Israel via fronteira terrestre (Eilat / Taba) poderia obter uma permissão para ficar na somente região do Sinai, não precisava do visto prévio. Porém, é bom consultar se houve alguma atualização, pois as coisas podem ter mudado neste período. Seguem os contatos da embaixada e consulados do Egito no Brasil:
      Embaixada da República Árabe do Egito
      SEN Avenida das Nações lote 12
      CEP: 70.435-900 – Brasília / DF
      Tel: (61) 3323-8800 / 4749
      Consulado do Egito no Rio de Janeiro, (21) 2554-6664 e (21) 2554-6318. consuladodoegito@yahoo.com.
      Em taba existem as belas praias do mar vermelho e o deserto do Sinai, não é um local muito visitado no Egito e também não possui uma infraestrutura para receber turistas. Quando passamos de ônibus não havia ninguém nas praias, tudo deserto. Te aconselho a não ficar muito fora das principais cidades turísticas do Sinai (Dahab e Sharm El-Sheik). Por Exemplo, se quiser ver o Monte Sinai, vá até Dahab e lá contrate um passeio com transporte com uma agência de lá. Lembre-se que o Sinai exige atenção redobrada devido a riscos de ataques terroristas.

      Excluir
  7. Fala Denilson, bela viagem que voce fez, tenho uma pequena duvida que gostaria de esclarecer com voce, pra atravessar a fronteira de Israel para o Egito (Eilat - Taba) entao nao e necessario pegar o visto na Embaixada Egipcia aqui no Brasi, basta somente pegar o carimbo na fronteira, desde que eu fique na regiao do Sinai? Outra coisa, na cidade de Taba tem algum destaque para visitaçao/turismo pra que for permanecer pouco tempo na cidade ? Obrigado e abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabiano! Quando fomos em 2014 esta era a informação vigente, quem vem de Israel via fronteira terrestre (Eilat / Taba) poderia obter uma permissão para ficar na somente região do Sinai, não precisava do visto prévio. Porém, é bom consultar se houve alguma atualização, pois as coisas podem ter mudado neste período. Seguem os contatos da embaixada e consulados do Egito no Brasil:
      Embaixada da República Árabe do Egito
      SEN Avenida das Nações lote 12
      CEP: 70.435-900 – Brasília / DF
      Tel: (61) 3323-8800 / 4749
      Consulado do Egito no Rio de Janeiro, (21) 2554-6664 e (21) 2554-6318. consuladodoegito@yahoo.com.
      Em taba existem as belas praias do mar vermelho e o deserto do Sinai, não é um local muito visitado no Egito e também não possui uma infraestrutura para receber turistas. Quando passamos de ônibus não havia ninguém nas praias, tudo deserto. Te aconselho a não ficar muito fora das principais cidades turísticas do Sinai (Dahab e Sharm El-Sheik). Por Exemplo, se quiser ver o Monte Sinai, vá até Dahab e lá contrate um passeio com transporte com uma agência de lá. Lembre-se que o Sinai exige atenção redobrada devido a riscos de ataques terroristas.

      Excluir