sábado, 14 de junho de 2014

Um dia no Museu Egípcio e centro do Cairo


No segundo dia no Egito fomos conhecer o famoso Museu Egípcio do Cairo e seus arredores no centro da cidade. Logo no inicio da manhã pegamos um taxi que nos levou da região das pirâmides de Gizé, local onde estávamos hospedados na noite anterior, até o centro do Cairo. Pedimos ao Thomas que nos indicasse algum hostal na região central da cidade, que fosse perto do museu, o que facilitaria os passeios que iríamos fazer nos próximos dois dias. O taxi nos custou 50,00 LE pelo trajeto de aproximadamente 22 Km. Pelo caminho finalmente conhecemos a cidade caótica de que tanto ouvimos falar: transito intenso, bastante lixo pelas ruas e córregos, prédios inacabados, pessoas e mais pessoas dispersas pelas ruas, barracas de comércio de rua sob os viadutos onde se vende um pouco de tudo. O taxi nos deixou em frente ao Dahab Hostal, indicação do Thomas. O hostal fica no terraço de um prédio comercial muito antigo em uma rua próxima ao Museu e a uma quadra da praça Midan Tallat Harb, região bastante movimentada, próximo de lojas, restaurantes e de tudo mais que um turista precisa. Subimos para conhecer o local e decidimos ficar hospedados ali mesmo. Aliás, recomendo muito este local para quem procura um hostal para mochileiros no centro do Cairo. Não só do ponto de vista funcional, mas principalmente pela sensação de não estar sendo explorado ou induzido a gastar a mais, o que ocorre muito com os turistas por todo o país. Em todos os locais em que ficamos na viagem eu somente recomendo 100 % um hostal neste sentido em dois locais, um é o próprio Dahab Hostal e o outro é o Sherief Bob Marley em Luxor. Deixamos as mochilas no quarto e fomos comer algo na rua, conhecemos o Kazaz, um bom restaurante que serve um pouco de tudo, desde o café da manhã, refeições e lanches. Local limpo e agradável, bom atendimento e não é caro. Outro diferencial é que o cardápio também está em inglês... Após isso, fomos caminhando em direção ao Museu. Já eram quase 11:00 da manhã. Pelo caminho algumas lojas de lembrancinhas para turistas e algumas pessoas que ficam circulando inventando alguma história para te induzir a entrar nestas lojas.  

Praça Midan Talaat Harb no centro do Cairo


Nas proximidades no museu também fica a famosa praça Midan Tahrir, palco das violentas manifestações e confrontos entre as forças de segurança do governo egípcio e a população que era contra o regime ditatorial em que o país se encontrava. Em 2011 centenas de manifestantes foram mortos neste local durante os protestos. Vimos algumas cercas de arame mantidas nas laterais das ruas em torno da praça, prontas para serem utilizadas para bloqueio de ruas pela polícia em caso de novos tumultos. Mas o que mais nos impressionou foram os tanques do exercito posicionamos bem na entrada do Museu. Dezenas de veículos militares e soldados prontos para atuar. Segundo o que nos falaram, hoje eles ficam lá principalmente para a proteção do museu, já que durante os protestos mais violentos algumas pessoas invadiram o local e saquearam algumas peças da coleção.



Posicionamento militar em frente ao Museu do Cairo, ao fundo a Torre do Cairo

Para entrar no museu paga-se um ingresso de 75 LE por pessoa. Não pode tirar foto de nada lá dentro, infelizmente... inclusive as câmeras fotográficas e mochilas devem ser deixadas em um guarda volumes ao lado da bilheteria. Se quiser pode contratar um dos guias que ficam na entrada do local para te acompanhar na visita, o preço vai variar conforme o idioma desejado e a negociação.


Esfinge no jardim do Museu Egípcio do Cairo

Entrada Principal do Museu Egípcio do Cairo
Lá dentro tudo impressiona muito. Tanto pela quantidade de artefatos quanto pelo valor histórico dos mesmos. Tudo o que você aprendeu na escola ou assistiu na Tv em documentários e filmes sobre o Egito antigo pode ser visto na prática com detalhes lá dentro. Peças originais trazidas de todos os cantos do país por exploradores, arqueólogos e historiadores que se dedicaram ao estudo da egiptologia. O prédio atual do museu foi inaugurado em 1902, possui cerca de 120.000 itens expostos nos seus dois andares. Dentre eles os mais famosos são, sem dúvida, todo o tesouro do faraó Tutancâmon, encontrado intacto em sua tumba pelo explorador inglês Howard Carter em 1922. Conta-se que milhares de outros objetos ainda estão guardados nos porões do museu. Mesmo em um dia inteiro não seria possível ver em detalhes tudo o que se encontra exposto lá. Estávamos com nosso livro guia visual do Egito que contém algumas páginas dedicadas ao museu, por isso decidimos entrar e seguir por conta própria, sem guia. Fomos primeiro aos salões das múmias reais. São duas salas onde estão expostas 22 múmias de faraós mantidas em câmaras de vidro. Todas elas com mais de 3.000 anos, ainda muito bem conservadas por sinal. O poderoso faraó Ramsés II é um dos que repousam nesta sala. Para ter acesso a estes salões, paga-se 100 LE (ingresso separado da entrada do restante do museu). Vale muito a pena, recomendamos! 


Bilhetes para entrada no Museu Egípcio e Salões das Múmias Reais 
Apesar de todo o tesouro de Tutancâmon ficar exposto permanentemente no Museu Egípcio, a múmia do jovem faraó Tutancâmon não se encontra exposta lá. Seu corpo está mantido dentro de sua tumba no Vale dos Reis em Luxor. A boa notícia é que não precisa pagar taxas extras para conhecer o  tesouro, o ingresso para acesso ao museu é o suficiente. Não sendo permitido tirar fotos de dentro do museu, não teríamos como descrever como ficamos impressionados com a grandeza de detalhes de todos os objetos do Tutancâmon expostos lá. Desde objetos cotidianos como roupas, utensílios de cozinha, camas, leques, até as impressionantes máscaras funerais feitas em ouro puro. Tronos, carruagens de gerra, esculturas... Na postagem "Os segredos ocultos do Museu Egípcio do Cairo" é possível ter uma noção do tesouros abrigados neste lugar.
Máscara mortuária de Tutancâmon

Continuamos pelas galerias do museu procurando os destaques conforme indicação do nosso livro guia, porém vimos que perderíamos muito tempo se continuássemos por conta própria. Fomos até a entrada e contratamos uma guia que falava espanhol. Seguimos com ela dentro do museu por mais uma hora e meia aproximadamente, até as 17:00 h quando o museu fechou. Foi bom tê-la contratado somente depois de ter uma visão geral do museu sozinhos, pois pudemos focar as explicações somente no mais importante e nas alas que ainda não havíamos visto.

Outras atrações imperdíveis do Museu Egípcio do Cairo:
  • Paleta de Narmer (3100 a. C), é o documento histórico mais importante de toda a história do Egito, com o registro da criação na nação;
  • Salão Amarna: estátuas e artefatos pertencentes ao reinado do faraó Akhenaton;
  • Estátuas do príncipe Rahotep e Nofret;
  • Estátua de Ka-Aper;
  • Jóias do antigo Egito;
  • Animais mumificados

Na saída do museu decidimos contratar nossa guia para ir conosco ao Cairo Islâmico no dia seguinte. Naquele dia fomos os únicos clientes dela... conforme comentamos em publicações anteriores, houve uma queda muito grande de turistas no Egito em razão das manifestações e instabilidade política. Infelizmente o turismo é a principal fonte de renda na país. Tiramos mais algumas fotos com os tanques e soldados posicionados em frente ao museu e seguimos em direção ao nosso hostal. Pretendíamos visitar a Torre do Cairo, mas estava fechada.

Rua em frente à entrada principal do Museu Egípcio do Cairo
Após sairmos do museu, já bastante cansados, retornamos ao hostal para descansar um pouco. Novamente desviamos dos carros e de algumas pessoas que tentavam nos levar para algum lugar. O início da conversa é sempre muito parecido com frases simples que você acaba respondendo:  "Were are you from?!... Do you want a taxi?!... You look like an Egyptian!... Do not go this way, is dangerous! I´m go with you! ... I know a store that only sells things allowed by government!...  Assim que você começar a responder vai entrar numa conversa e acabar comprando alguma coisa com um valor muito além do que ela vale ou sendo levado para algum lugar remoto. Tome cuidado!

Trânsito nas ruas do Cairo, o grande desafio é atravessar a sua sem sinalização
À noite retornamos para caminhar pelas ruas do centro. A quantidade de pessoas nas ruas parecia ter triplicado, mas a sensação de segurança é indescritível... não havia aquele medo de ser assaltado como ocorre em muitas cidades aqui no Brasil. Então aproveitamos para ver vitrines, comer alguma coisa e observar as diferenças e semelhanças culturais...

... Provavelmente é o livro "Os 7 Hábitos da Pessoas
Altamente Eficazes" em árabe...
Trânsito à noite no centro do Cairo



Cinema no centro do Cairo
Vendedores ambulantes
nas ruas do centro do Cairo
À noite, no centro do Cairo



Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário