domingo, 31 de agosto de 2014

10 coisas que você precisa ver em Petra




Por mais de 500 anos a cidade de Petra esteve oculta do mundo ocidental sob a proteção dos beduínos. Hoje, Petra é um dos sítios arqueológicos mais fascinante e singulares do mundo. Nada que possamos escrever vai prepará-lo para este local impressionante. Mas vale a pena conferir as 10 coisas que você não pode deixar de ver em Petra!



 

10) Blocos de Djinn (Djinn Blocks) - os Blocos de Djinn são a primeira atração após a bilheteria de Petra no vale chamado Bab el-Siq e você pode até acabar passando por este ponto sem dar muita atenção. Trata-se de blocos esculpidos que, segundo a tradição, são habitados por espíritos (djinn).





9) Portão de Têmeno (Temenos Gate) - é o que resta da imponente entrada de um palácio. Suas ruínas, dependendo do ângulo, emolduram o centro da cidade de Petra. A partir dele havia um conjunto de colunas romanas que margeavam a principal rua da cidade após a tomada de Petra pelos romanos.





8) O Triclínio do Leão (Lion Triclinium) - A entrada desta obra tem a forma de um buraco de fechadura na fachada provocado pela erosão e é ornamentada com arabescos nabateus.





7) Túmulo do Obelisco e Triclínio do Bab el-Siq (Obelisk Tomb & Bab as-Siq Triclinium) - parece um só monumento, mas na realidade são dois. O de cima é o Túmulo do Obelisco, já o de baixo é chamado de Triclínio do Bab el-Siq.





6) O Teatro (The Theatre) - adotando o estilo arquitetônico romano, o teatro ao ar livre de Petra podia acomodar em torno de 7.000 pessoas sentadas. Na parte superior, ficavam os camarotes e na na frente, um palco para as apresentações.





5) Os Túmulos Reais (The Royal Tombs) - escavados na montanha estão os túmulos reais de Petra.Trata-se de um conjunto de edificações localizados na área central de Petra. Seu tamanho monumental sugere que estes túmulos que foram construídos para gente rica ou importante da cidade.





4) O Túmulo da Urna (Urn Tomb) - o túmulo da Urna faz parte do conjunto de túmulos reais. Está esculpido sobre um conjunto de arcos. O interior do Túmulo da urna já foi uma igreja de onde se tem uma vista espetacular da planície central de Petra.





3) O Desfiladeiro (As-Siq) - o estreito desfiladeiro que leva à Petra é cheio de canais de água cortados na rocha, nichos, escadarias e desenhos, mas o que mais impressiona são suas gigantescas paredes que em alguns trechos afunilam o trajeto. Ao fim, o desfiladeiro emoldura a fachada de uma das mais conhecidas edificações de Petra (foto da capa).





2) O Monastério (Ad-Deir) - Este é o mais monumental templo de Petra. Para chegar a ele é necessário percorrer uma longa trilha íngreme, bastante difícil, mas compensadora.





1) O Tesouro (Al-Khazneh) - Sem dúvida esta é a mais conhecida edificação de Petra. Sua fama deve-se em parte ao filme Indiana Jones e a Última Cruzada. No filme, Harrison Ford encontra no local o cálice utilizado por Jesus Cristo na Santa Ceia - o Santo Graal.





Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://www.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.
Abço, Denilson e Estela
 



Leia também:

Viagem à Jordânia
Leia Mais ►

Visitando Petra (parte 02/02)


Seguindo com os relatos da nossa passagem por Petra, na postagem Visitando Petra (parte 01/02) contamos como chegamos ao Monastério. Descrevemos também as atrações vistas ao longo do caminho e a impressionante vista do deserto no ponto mais alto da trilha que percorremos. Agora era hora de voltarmos... Tínhamos ainda alguns locais ao longo do caminho para ver, pois não havíamos parado nas atrações durante a ida.

No trajeto de descida do Monastério ao centro da cidade de Petra

A descida pela trilha foi percorrida a pé mesmo. Ao longo do caminho muita gente ainda subindo em direção ao Monastério. Alguns já exaustos nos perguntaram se faltava muito para chegar... O sol do início da tarde continuava muito forte. Nosso estoque de água também estava acabando, então foi necessário comprar mais uma garrafa em uma das tendas da trilha. Pagamos 1,50 DIN por uma garrafa de 1,5 L (em torno de R$ 5,00 . A mesma água custa 0,50 DIN no mercado no centrinho da cidade).

Tendas com venda de produtos de artesanatos em Petra

Na sequencia continuaremos com a descrição das atrações, conforme o mapa da foto abaixo fornecido na bilheteria, iniciando a descida do ponto 34 até o ponto 7:



Triclínio do Leão: o buraco da fechadura

Depois do longo trecho de descida, um pequeno desvio na trilha leva ao Triclínio do Leão (33). A entrada tem a forma de um buraco de fechadura na fachada provocado pela erosão e é ornamentada com arabescos nabateus.


Triclínio do Leão

O portão de Têmeno: a imponente entrada de um palácio

Chegamos ao ponto onde ficava o centro antiga cidade de Petra, local onde anteriormente havíamos iniciado o deslocamento com os burros. O Portão de Têmeno (21) emoldura o conjunto de túmulos reais. 

Portão de Têmeno, ao fundo o centro da cidade de Petra
Nesta parte plana e baixa de Petra se concentram muitas ruínas de palácios e templos da época em que os romanos conquistaram esta região (por volta do ano 100 d.c.). Ainda é possível ver as imensas colunas de pedra, características da arquitetura romana da época. As ruínas se concentram ao longo de uma espécie de avenida imponente ladeada por colunas conhecida como Cardo Romana (19).


Vista do portão de Têmeno e a Cardo Romana

Ruínas de um templo em Petra

Os Túmulos Reais de Petra

Encravados em uma encosta no lado oposto ao imenso teatro estão as construções conhecidas como os Túmulos Reais de Petra. As fachadas lembram um pouco a do Tesouro, porém já não possuem mais o mesmo acabamento conservado como o do famoso templo. Estes locais serviram como túmulos principalmente para as pessoas mais ricas e nobres entre os Nabateus. É possível subir e visitar algumas das galerias e salas destes locais que ficam dentro da montanha. A vista no alto dos Túmulos Reais é bem legal. Pode-se observar toda a planície com as ruínas da Antiga Cidade de Petra. Os principais túmulos são: o Túmulo da Urna (11), o Túmulo de Seda (12), o Túmulo Coríntio (13) e o Túmulo do Palácio (14).



Vista do Túmulo da Urna e Túmulo de Seda em Petra

Túmulo da Urna

Subida ao Túmulo da Urna em Petra
Fachada do Túmulo da Urna em Petra
No interior do túmulo da Urna





Túmulo Coríntio

O Teatro

Outro ponto impressionante de Petra, sem dúvida é o imenso Teatro (10) ao ar livre. Seguindo uma arquitetura romana da época, podia acomodar em torno de 7.000 pessoas sentadas em suas arquibancadas. Na parte superior ficavam os camarotes e na frente um palco para as apresentações.



O Teatro

Todo o esforço da caminhada, do sol forte, do calor foi recompensado pela experiência que tivemos neste local incrível. As construções feitas pelo criativo povo Nabateu nas montanhas do deserto da Jordânia continuam a impressionar os visitantes. O imenso trabalho que os Nabateus tiveram para entalhar e construir uma uma cidade única no seu tempo.


Descansando em uma das fachadas de Petra

Paramos mais um pouco para admirar e nos despedirmos do Tesouro (7). Uma imagem que ficará para sempre na nossa lembrança, uma conquista, um objetivo alcançado. Lá pelas 5 da tarde o sol já estava baixando, mesmo assim uma multidão ainda estava a contemplar o Tesouro. A impotente porta da fachada que guarda séculos de segredos, hoje guardada pela guarda jordaniana.

Porta de entrada ao Tesouro

Pegamos o caminho do Siq de voltar à bilheteria. Estávamos muito cansados, mas seguimos à pé. Saindo da bilheteria, na volta ao nosso hostal, pegamos um táxi, pois a subida era forte! Valor justo do taxi até o hostal: 2 DIN.  Pagamos 5 DIN porque não tínhamos a menor noção de quanto custava e até onde podíamos negociar... o primeiro preço proposto pelo motorista foi de 10 DIN.



Fim da tarde em Petra


Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.
Abço, Denilson e Estela
 


Leia Mais ►

domingo, 24 de agosto de 2014

O grande templo de Amon em Karnak (04º Dia - 02/03)

Por mais de mil anos o complexo de Karnak ficou enterrado na areia. Entre os séculos XVIII e XIX as escavações no local foram iniciadas e duram até os dias atuais. É o segundo lugar mais visitado do Egito depois das pirâmides de Gizé (ver postagem Visitando as Pirâmides de Gizé). Sua construção foi iniciada por volta de 2.200 a.C e concluída em 360 a.C, ou seja, uma edificação que foi recebendo anexos ao longo de vários anos pelas várias dinastias de faraós. O templo maior foi dedicado à Amon, o rei dos deuses na mitologia egípcia.


Logo na entrada do grande templo de Amon há uma fileira de esfinges com cabeça de carneiro que fazia a ligação com o rio Nilo. O acesso ao pátio onde está o Colosso de Ramsés II (1279 - 1213 a.C) é pelo Primeiro Pilono, uma porta monumental acompanhada por duas torres trapezoidais. Do lado direito há o Templo de Ramsés III (1184 - 1153 a.C) e do lado esquerdo o Túmulo de Seti II (1200 - 1194 a.C). O Colosso de Ramsés II é uma imponente estátua de granito de Ramsés II, faraó da 19ª Dinastia. 


Entrada do templo de Amon com a fileira de esfinges e Primeiro Pilono

Esfinges com cabeças de carneiro no complexo de Karnak

Pátio no templo de Amon

Túmulo de Seti II

Templo de Ramsés III

Colosso de Ramsés II
O próximo Pilono dá acesso ao Grande Salão com Hipostilo, ou seja,  uma grande sala com o teto sustentado por colunas. São 134 colunas gigantescas, cada uma com  21 metros de altura e cerca de 3 a 4 metros de diâmetro, todas em forma de papiro com inscrições hieroglíficas. Parte da escrita ainda com as cores utilizada no período do Antigo Egito.

Entrada do Grande Salão do Templo de Amon, ao fundo o maior obelisco do Egito

Colunas do Grande Salão do Templo de Amon

Inscrições nas colunas do Grande Salão do Templo de Amon

Hieróglifos do Grande Salão do Templo de Amon

Escrita hieroglífica do Grande Salão do Templo de Amon com cores
No Grande Salão com hispostilo no Templo de Amon

Para chegar ao Templo do Grande Festival, construído por Tutmés III (1479 - 1425 a.C) é necessário passar pelo pátio onde está o maior obelisco do Egito. Com 27 metros de altura pesa cerca de 340 toneladas e em suas laterais está repleto de mensagens em hieroglifos.

Obelisco em Karnak
No templo do Grande Festival ainda e restaram as ruínas das paredes cheias de adornos e desenhos entalhados coloridos e imensas colunas. Indo em direção ao sétimo, oitavo e nono pilonos, portas ainda com o revestimento original em granito e grandes muros com hieroglifos preservados.


Templo do Grande Festival

Adornos no templo do Grande Festival

Colunas do Templo do Grande Festival

Porta com revestimento em granito

Muros com hieróglifos

Passamos a manhã visitando o complexo de Karnak e ainda faltavam dois pontos que gostaríamos ver mas estávamos muito cansados, pois o sol estava muito forte...desistimos, mas creio que vale a pena caminhar até Estátua do Escaravelho e o Lago Sagrado, local onde os sacerdotes se purificavam antes de rituais no templo.

Segue abaixo as principais atrações do Complexo de Karnak:
  • Grande Salão com Hispostilo;
  • Colosso de Ramsés II;
  • Templo de Ramsés III;
  • Túmulo de Seti II;
  • Templo do Grande Festival;
  • Obeliscos;
  • Lago Sagrado;
  • Estátua do Escaravelho.

continua 4º dia em postagem O Templo de Luxor e o por do sol no Vale do Nilo

Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.

Leia Mais ►