sábado, 2 de agosto de 2014

Museu Militar Nacional: a história do exército egípcio no palácio de Mohammed Ali




Em 1801, as tropas de Napoleão Bonaparte foram expulsas do Egito pelos turcos e britânicos. No período seguinte o Egito enfrentou uma disputa pelo poder entre os otomanos, egípcios mamelucos e albaneses mercenários. Em 1805, um comandante albanês do exército otomano, Mohammad Ali, assumiu o controle do Egito e Sudão. Mohammad é considerado o fundador do Egito moderno, já que durante o seu governo (1805-1849) efetuou reformas para tornar o país numa nação industrializada. Duas edificações relevantes da Cidadela Al-Qalaa foram construídas durante este período, a Mesquita de Mohammad Ali e a residência da família real do Egito, o palácio que atualmente abriga o Museu Militar Nacional. Na postagem Cairo Islâmico e Bazar Khan al-Khalili, descrevemos como chegar à Cidadela. No pátio externo da entrada do museu há uma estátua de Ibrahim Pascha (imagem acima), filho de Mohammad Ali. Ele foi general do exército egípcio durante o governo do seu pai. Ibrahim, além das grandes vitórias militares é um dos membros mais célebres da dinastia Mohammad Ali, tendo sucedido seu pai no governo em alguns momentos.

Conselho de Justiça de Mohammed Ali
Na sala do Conselho de Justiça de Mohammed Ali

O acervo do museu registra a história do exército egípcio desde os tempos faraônicos até os dias atuais. Ele é dividido em três alas e três andares, cada um com várias salas. Apresenta o desenvolvimento de armamento e equipamentos militares e uniformes, além de pinturas e estátuas que registram momentos militares relevantes da história do país, dentre os quais se destacam:

  1. A Crise de Suez, conflito que iniciou em 1956 quando o presidente Abdel Nasser anunciou sua intenção de nacionalizar o canal de Suez. Israel, com o apoio da França e Grã-Bretanha, que utilizavam o canal para ter acesso ao comércio oriental, declarou guerra ao Egito; 
  2. A Guerra dos Seis Dias - conflito armado iniciado em junho de 1967 por Israel contra os países árabes. Durante a Guerra dos Seis Dias, Israel capturou do Egito Península do Sinai, cerca de metade das Colinas de Golã da Síria, ocupou a Cisjordânia e o setor oriental de Jerusalém;
  3. A Guerra de Outubro - também chamada de Guerra do Ramadã, refere-se ao  conflito árabe-israelense que ocorreu entre 06 a 23 de outubro de 1973, quando uma coalizão árabe liderada pelo Egito e Síria lançou um ataque surpresa sobre as posições israelenses nos territórios ocupados por Israel; 
  4. O acordo de Camp David - em 26 de maço de 1978, o presidente do Egito Anwar Sadat, o primeiro ministro de Israel e o presidente Jimmy Carter dos Estados Unidos, assinaram o acordo no qual Israel devolveu o Sinai ao Egito e estabeleceu-se o Tratado de Paz Israel-Egito.






Assinatura do Acordo de Camp David, 1977 (Tratado de Paz Israel-Egito)

Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário