sábado, 3 de setembro de 2016

Aswan e o passeio de feluca no lendário rio Nilo (06º dia - 02/02)



Chegamos à estação de trem de Aswan no início da tarde. Não havia muitas pessoas abordando os turistas como aconteceu no Cairo e em Luxor. A cidade de Aswan é menor que as outras duas visitadas anteriormente e saímos à pé à procura de um local para se hospedar e para contratar o passeio até Abu-Simbel. Como contamos na postagem anterior, nós não tínhamos nada reservado, somente algumas indicações que pegamos em Luxor. O primeiro hotel era caro demais, o segundo era muito afastado, mas o que nos deixou realmente preocupados naquele momento não foi nem o local para ficar, mas o preço que pediram pelo passeio de Abu-Simbel. No hotel começaram com uma conversa estranha de que devido à baixa quantidade de turistas não havia mais tours em grupos e nós deveríamos contratar um passeio com carro particular, tipo um táxi com o guia. Havíamos pesquisado na internet antes de viajar e as poucas informações compartilhadas sobre Abu-simbel não falavam nada sobre isso. O preço pedido era completamente inviável para nós naquele momento (pediram 750,00 LE para os dois). Achamos estranho e decidimos seguir até o último local da lista. Pedimos informação e foi preciso pegar um táxi pois o hotel era um pouco mais distante. Seguimos de táxi pela margem do Nilo, apreciando a bela paisagem. Diversos navios que fazem a navegação pelo Nilo estavam ancorados na margem. Devido à crise no turismo poucos deles saíam de lá para fazer o famoso cruzeiro pelo rio. O hotel indicado ficava de frente ao rio Nilo, em frente à ilha de Elefantina, porém a entrada era por uma rua atrás bastante suja e obscura. Quem nos atendeu foi uma moça bem simpática que nos mostrou o quarto e também confirmou que conseguiria o passeio para Abu Simbel para o dia seguinte, e o melhor, com o preço dentro das nossas expectativas! Ufa!! Tudo certo, hora de relaxar e dar uma passeada pela margem do lendário rio. Aswan pertencia ao antigo território Núbio, que posteriormente também foi anexado ao antigo Egito. Foi de lá que provavelmente saíram os blocos de pedra para a construção das pirâmides e também as pedras utilizadas nas imensas estátuas e obeliscos de todo o território do antigo Egito. Até hoje uma pedreira ainda expõe lá um imenso obelisco que estava sendo esculpido diretamente na rocha e que foi abandonado, o famoso "obelisco inacabado", que dá uma dimensão do trabalho executado pelos artesãos do antigo Egito. Outra curiosidade da cidade são os barquinhos à vela conhecidos como "felucas" que ainda hoje navegam no Nilo como já faziam a muito tempo atrás. E foi justamente nesta nossa saída a pé para passear na margem do Nilo que um simpático senhor núbio nos ofereceu um passeio de feluca. À princípio isso nem estava em nossos planos, mas ele acabou nos convencendo...

Às margens do Nilo para um passeio de feluca

Feluca, em Aswan


Um amigo núbio


Foi ótimo! Demos uma volta completa na ilha de Elefantina com a feluca deslizando lentamente pelas águas calmas do Nilo. Só o barulho da água e do vento quebrando o silencio. Momento de relaxar depois dos primeiros dias de viagem mais agitados que havíamos passado no Cairo e em Luxor. Hora também de refletir sobre a grandiosidade daquele momento, pois alí estávamos nós, navegando pelas mesmas águas históricas que fizeram o Egito surgir como uma das maiores e mais avançadas civilizações da antiguidade. À memória uma frase lida em um livro de história do ensino fundamental: "Egito, a dádiva do Nilo". Realmente as águas do Nilo deram vida e riqueza a uma terra que ficava em meio a um deserto árido e hostil.  A cada ano o nível das águas ditava o resultado das colheitas definindo se haveria fome ou fartura ao povo: as cheias traziam os sedimentos que tornavam as terras férteis com colheitas abundantes em suas margens, já se o nível das águas não chegasse ao mínimo esperado naquele ano haveria falta de alimentos. Os Egípcios aprenderam a entender o rio e suas variações naturais, e ali mesmo em Aswan, na ilha de Elefantina, construíram o "Nilômetro", uma escadaria que media o nível máximo das águas daquele ano e dava uma previsão das colheitas.


Porta de acesso à escadaria do Nilômetro

Na margem ocidental do Nilo, sobre as colinas do deserto, é possível avistar as ruínas da Necrópole de Aswan (Túmulos dos nobres) juntamente um templo funeral conhecido como Qubbet el-Hawa e o Mausoléu de Aga Khan. Não chegamos a descer do barco para visitar estes locais, mas a visão desde o rio Nilo impressiona  muito.

Túmulo dos Nobres e Qubbet el-Hawa
Mausoléu de Aga Khan

Fizemos uma breve parada na ilha de Kitchener para observar um jardim botânico muito bem cuidado. Nesta ilha, além de plantas exóticas existem muitas aves que descansam sobre as árvores. Nativos núbios oferecem peças de artesanato aos turistas que descem das felucas para conhecer a ilha.

Ilha de Kitchener


Artesanato na ilha de Kitchener

Falando em turismo, Aswan é cheia de grandes hotéis e resorts luxuosos às margens do Nilo. Porém, devido a queda considerável do número de visitantes depois da "primavera árabe", todos estes locais estavam vazios. Um destes hotéis de luxo é o imponente Sofitel Old Cataract Hotel, que já hospedou Winston Churchil e a escritora Ágatha Christie, quando ela escreveu o romance "Morte no Nilo". 


Sofitel Old Cataract

Na mesma margem do rio que esbanja em luxo, vimos também a outra realidade do povo núbio. A baixa quantidade de turista praticamente acabou com a única fonte de renda deste povo: pessoas que vivem da venda de souvenires, passeios de barco, tours pelos templos e ruínas da região. Foi emocionante e ao mesmo tempo de "cortar o coração" quando um menino núbio veio se aproximando do nosso barco desde a margem do rio, remando em uma prancha de madeira, e começou a cantar uma canção núbia. Ao final demos a ele algumas libras e ele voltou contente. Ouvimos de um vendedor de souvenires na ilha de Kitchener: "por favor, compra um pois eu não tenho pra quem vender". O próprio comandante da nossa feluca nos disse que éramos os únicos clientes dele naquele dia.

Vila Núbia
Nossa jornada ao Egito chegava na metade, tudo o que vivenciamos até aquele momento foi fantástico e incrivelmente recompensador. Planejar esta viagem e chegar até este lugar de forma autônoma já foi uma recompensa imensa e aquele passeio de feluca foi como uma celebração deste momento especial que jamais esqueceremos. 

Ilha de Elefantina

Retornamos à margem do rio quando já começara a escurecer. Saímos para fazer um lanche e já retornamos ao hotel para dormir cedo, afinal o dia seguinte seria para fazermos o passeio de Abu-Simbel. Na próxima postagem vamos contar como foi a visita de Abu-Simbel, nosso retorno ao Cairo e alguns imprevistos mais...

Aswan, vista noturna

Despesas do dia:
Taxi da estação de trem até o hotel Memnon: 20,00 LE
Diária do hostel: 130,00 LE (Hotel Memnon, quarto casal)
Transporte de Van: Aswan > Abu Simbel > Aswan, contratado no hotel Memnon para o dia seguinte: 60,00 LE por pessoa
Passeio de Feluca no Nilo: 100,00 LE (cerca de 2 horas, preço para o casal)
Alimentação, lanches e água: 80,00 LE para os dois

* LE: libras egípcias (pounds) - na época desta viagem a cotação que conseguimos no Egito foi de 1 dólar = 7 LE



Olá,
já curtiu nossa página no Facebook?
Curta e fique por dentro dos nossos novos posts!
https://pt-br.facebook.com/viajanteautonomo
Ah! Caso tenha alguma dúvida sobre algum ponto abordado nesta postagem ou quiser receber outras informações, registre seu comentário abaixo
Abço, Denilson e Estela.

2 comentários:

  1. Olá! Muito interessante o seu blog, ótimas dicas!
    Você poderia dizer quanto custou o passeio para Abu Simbel?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sonia, obrigado pelo comentário! Eu acabei de atualizar os custos na postagem. Vamos fazer isto para as demais postagens também. Eu não havia me atentado neste detalhe, que é uma informação bem importante!
      Os custos de Abu Simbel foram de:
      Transporte de Van: Aswan > Abu Simbel > Aswan, contratado no hotel Memnon: 60,00 LE por pessoa
      Entradas em Abu Simbel: 65,00 LE por pessoa

      Excluir